segunda-feira, 29 de dezembro de 2014

Histórias de Bolso - coletânea de minicontos

Queridos leitores,

Venho fazer dois comunicados.

Um, que se refere ao título da postagem, é sobre a coletânea de minicontos chamada Histórias de Bolso que acabo de publicar no Wattpad.
Para quem não conhece, o Wattpad é um site onde autores publicam seus trabalhos e os leitores podem ler gratuitamente. Esta coletânea reúne doze minicontos sobre temas diversos, como amor, saudade, abandono, morte. Resolvi publicá-la com a intenção de divulgar meu trabalho. Venham ler e votem (é só clicar na estrelinha) nas histórias que gostarem!

Outra coisa que preciso dizer é que sei que o blog não anda muito atualizado ultimamente, admito que é difícil conciliar os estudos da faculdade 
– que estão em ritmo intenso – com a atualização de tantos sites. Portanto, para quem gosta de acompanhar meu trabalho, peço que o façam através das outras redes sociais também, para que fiquem por dentro das atualizações:

Facebook
Scribe
Wattpad

Bom fim de ano para vocês!
Que 2015 lhes traga o que cada um precisa e intensifique tudo que os faz feliz.

Grande abraço,

Isabela Xavier


Ps: Às vezes sem querer coloco cor no plano de fundo do texto e não consigo mais tirar. Aí ficaram algumas linhas com essa coisa branca atrás. Relevem, por favor. E, quem souber como retirar, pode me contar. haha ;)

Invasões

Esgueirou-se pelo labirinto de corredores e se escondeu no canto mais isolado que encontrou. Não moveu um músculo. Não ouvia mais passos, nenhum sinal dele. Esperança. Suspirou aliviada.
Mas logo os pelos se eriçaram ao sentir a respiração no pescoço. Estremeceu com o perfume. Reconheceu o sussurro. Não tão cedo. Não seria tão fácil quebrar as correntes.
Podia tentar cerrar os olhos e tapar os ouvidos para as memórias dele. Fugir da imaginação era nada perto daquelas invasões. Elas eram blindadas e insidiosas. Quando menos esperasse, quanto menos desejasse, estariam lá.
A respiração ruidosa, os batimentos cardíacos no peito tão familiar, o perfume da pele macia. Aquela voz rouca a murmurar confissões. Chegavam todas sorrateiramente e a levavam de volta, contra sua vontade. Rendeu-se, enfim. Não há esconderijo para o que está sempre ao lado – de dentro. Não escondeu um tímido prazer. Havia certo masoquismo na dor de reviver lembranças.

sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

Espectro

O homem estava de pé, de frente para o vitral. A imagem da santa, com o bebê no colo, espalhava um espectro de luzes coloridas que sempre o seduziam. Pensou na mãe. O que ela diria se o visse agora?  O primogênito, “seu pequeno Richard”, nome em homenagem ao avô, filho de médico renomado.

Olhou para o lado e viu que a velha ainda estava lá. Ajoelhada, olhos fechados, mãozinhas unidas. Imaginou, excitado, os próximos minutos após saírem da igreja. Já podia sentir o frágil pescoço da velha. Ainda decidia entre usar as próprias mãos ou desfilar lentamente a lâmina.

(Isabela Xavier)

Texto enviado para a série Uma História em 100 palavras, do Ninho de Escritores.

Imagem: https://www.flickr.com/photos/danialvarezfotos/

quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Poema já obsoleto

Há tanto aqui dentro
E lá fora a vida é tão pouco

Em um voo vai-se o tempo
Pelos ponteiros pássaro solto

Olhares e palavras correm
Em círculos anti-horários

Sonhos e planos morrem
Na poeira, engavetados

Só os distraídos suportam
A efemeridade

Surdos e sonsos, eles bailam
Pela tragiverdade

(Isabela Xavier)



Imagem: http://weheartit.com/entry/134565288?utm_campaign=share&utm_medium=image_share&utm_source=tumblr

sexta-feira, 14 de novembro de 2014

Uns e outros

Imagem: http://undiscovered2.tumblr.com/post/99111253368



Um contra o outro
Eles foram

Um corpo 
Contra o outro

Um lábio 
Contra o outro

Um gesto
Em conta

Um sorriso
E outro

Um descuido
Contra o outro

Um insulto 
Contra o outro

Um erro 
Consta

Um tapa
E mais outro

Um fim
Conta o outro


(Isabela Xavier)

quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Addiction

Gostava
Daquele gozo
Inesgotável

Que esgota
As forças
Até a última
Gota

E no fim
É sempre
O último
Adeus

(Isabela Xavier)

Imagem: http://yungcylie.tumblr.com

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Profecia

http://oblivious-black-bunny.tumblr.com/


Em todo caso terei teu abraço
Em todo abraço acharei o vazio

Em todos os corpos te acharei ao acaso
E todo toque, então, será frio

Toda vez que te encontrar
Toda hora que estiver contigo

Tua presença fingirei não notar
E o cinismo saudoso será meu abrigo

(Isabela Xavier)

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Choro [Haicai]

Hoje estreia uma nova cargoria 
no blog: Hacais de aprendiz.
Começo a me aventurar na escrita
de haicais, ainda me considero
aprendiz.

Terra molhada:
Lágrimas de uma nuvem
Soterradas

(Isabela Xavier) 



quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Drama

http://pauajusa.deviantart.com

Tempestade
Em corpo 
D'água

É só 
Uma festa 
De pingos
E mais nada

Tentando
Molhar
A alma
Encharcada

(Isabela Xavier)


quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Os Pássaros

http://in-dissoluvel.tumblr.com

Palavras
Exaltadas
Agitavam-se
Em gaiolas
Imaginárias

Nenhuma 
Mente
Cala.
Com sorte,
Nem 
Post mortem

Tola ilusão
Trancar
Os pássaros
Se os cantos
Voam além 
Da prisão

(Isabela Xavier) 

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Beladona

By https://www.flickr.com/photos/hiddeninthescars/


Ela murchou mais
Que a flor
Que não quis
Regar
Em protesto
À dor

Podou-me
Se quis
Cuidá-la
Enterrou-se
Se quis
Tocá-la

Pétala a pétala
Despiu-se
Da carcaça bela
E pesada
Da flor-prisão
Saiu desabrochada

(Isabela Xavier)

domingo, 17 de agosto de 2014

Palavras

By http://creese.tumblr.com/

Pelos cantos
Da prisão
Pelos cantos,
A razão

Pelos cantos
Os pássaros
Pelos, penas
Asas, patas

Pelo menos
Os cantos
Ganharam 
Asas

(Isabela Xavier)


quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Revivendo

Hoje, ao mudar o endereço do meu blog (www.exteriorizando-ix.blogspot.com), tive que redefinir os endereços de cada postagem. Pois é, deu certo trabalho. E vejam só com o que me deparei: o texto "Fim de uma fase", escrito em 22 de setembro de 2012. 

Hoje, 06 de agosto de 2014, quase dois anos depois, foi indescritivelmente prazeroso ler esse texto. Eu irei escrever outro, em resposta a essa menina de 22 anos que saía livre e feliz de um estado emocional conturbado. Agradeço a ela por ter registrado essas memórias e tê-las feito mais vívidas para mim, hoje. 
Por enquanto, a quem se interessar, aí está a chance de releitura: 

http://exteriorizando-ix.blogspot.com.br/2012/09/fim-de-uma-fase.html

Isabela Xavier

Retornando

Olá, queridos,


Após um ligeiro (?) afastamento do blog, enfim retorno. A produção literária não parou, apesar de competir por tempo com os estudos da faculdade. Então, hoje mesmo volto a publicar novos poemas.

Aproveito para avisar que o endereço do blog mudou para exteriorizando-ix.blogspot.com, porque acredito que combine mais com a identidade e o nome original do blog. Em breve, serão feitas mudanças no layout também.

Novidades sobre o Livre Mente estão por vir, aguardem! Para os autores independentes as coisas acontecem devagar (e o motivo, geralmente, é financeiro), mas, com dedicação e persistência, elas acontecem.

Ps: devido à inexperiência (eu nunca havia mudado o endereço do blog antes) e confusões minhas, vários textos foram republicados com a data de hoje. Relevem. Fica aqui a explicação.

Um beijo, 
Isabela Xavier

Você e eu

Você precisou, fiquei
Precisei, você ficou 
Com medo
E fiquei
Sozinha

(Isabela Xavier)

Teardrops (Protection IV) by Morgacito
Teardrops (Protection IV), a photo by Morgacito on Flickr.
 

Passante

Bokeh by Jlou ♥
Bokeh, a photo by Jlou ♥ on Flickr.

Passam ao longe as estrelas no céu
Tornando-se borrões
Passam ao lado os postes de luz
Ganhando movimento
Passam os carros na direção oposta
Voam, rasgando o ar

Passam as horas na estrada
O dia passa a ser noite
As nuvens passam a gotejar
E eu ainda passo longe de ti
Que te isolas em teu espaço
A tantos passos longe de mim 

(Isabela Xavier)

Submerso

Think by aftab.
Think, a photo by aftab. on Flickr.


Imperdoável é o erro
De transbordar de amor
E não oferecê-lo todo
Restringir-se a limites impróprios
Afogar-se no próprio sentimento
E não saciar a sede do outro

Podes descartar-me, tens razão
O pouco que te dediquei
Foi apenas parte do que senti
Agora todo o restante subsiste em mim
Enquanto me afogo sozinho na sobra
E morro de sede de ti

(Isabela Xavier)

Terminal

train_track_001 by Shane Grant
a photo by Shane Grant on Flickr.

Teu trem já partiu
Da minha estação
Correu desajeitado
Pelos trilhos
Foi descarrilar
Outro coração

(Isabela Xavier)

Em dois

Distante de mim
Vejo-me partir
Em dois:
O que fui, e morre;
O que sou, e sufoca
O que poderia ter sido

(Isabela Xavier)

Saudade by Evelin Martins
a photo by Evelin Martins on Flickr.

Meio assim

Há algum meio
De eu me tornar
Teu único meio
De ser inteiro?

(Isabela Xavier)

Warm and cozy by Magdalena Gonciarz
a photo by Magdalena Gonciarz on Flickr.

Encontro

 Sky to Sea By http://pixx-73.deviantart.com

Me encontre
Na quarta noite
Quatro estrelas
Após a lua

Numa via 
Bem escura
Cuja luz única
Seja a do céu

Se por acaso
Perder-se ao luar 
Pare em uma nuvem
Não siga em frente 

Faça o sinal
E espere 
Que já te busca
Qualquer estrela cadente

(Isabela Xavier)

Inverno

Untitled by knights☠
a photo by knights☠ on Flickr.

Em pleno inverno
Ainda me derreto
Se me perco
Em teus olhos
Por mais frios
Que olhem
Em minha direção

Quem pode entender
Um coração recusado
Que persiste
E insiste
Que sua espera
Tem razão? 

(Isabela Xavier)

Não me espere

we all float by daydream-in-blue

Não espere um retorno
Nem retorne
Não torne a esperar
Que eu me torne
Apenas alguém 
Que te espera

(Isabela Xavier)

Incógnita

Verdade mesmo é que
O que está dentro
Nem quem está por dentro
Consegue enxergar

(Isabela Xavier)

07 Apr: Trapped by gideon_koh
a photo by gideon_koh on Flickr.

Livre mente

Quis ser poeta livre
Não soube conter
A torrente de poesia

Tornou-se escravo
Dos próprios versos
Em sua vida-fantasia

(Isabela Xavier) 

The old man and the sea. by jaci XIII
a photo by jaci XIII on Flickr.

Solitário desab(af)o

Gang Aft Agley (3) by Liam Levitz
a photo by Liam Levitz on Flickr.

Hoje desisto de mim
E deixo meu barco afundar
Em um copo de vodca
Ou na almofada do sofá

Jogo na mesa os livros e os compromissos
Hoje eu escolho o que ficará
Escancaro a janela do apartamento
Convidando a tempestade,
Deixo a chuva molhar

Hoje, só hoje
É o dia de me largar
À própria sorte
E de me jogar
Na pausa que a vida dá

Hoje estou feliz assim,
Solitário
Fechado em pensamentos delirantes
Sou sofredor voluntário
Escravo de uma mente errante

Lembre-se de me esquecer
Finja que nunca existi
Ignore a importância que me dá
Sou eu, e só eu,
O único que cabe aqui

Não me toque a campainha
Esqueça o telefone, nem me ligue
Hoje aprecio meus demônios
E degusto o que a vida me proíbe

(Isabela Xavier)

Ficção

Untitled by Valerio Photography/Alessa
a photo by Valerio Photography/Alessa on Flickr.


Personagem te faço
Criei uma ilusão
E assino embaixo

Na minha história de amor
Abro teu coração
Sou teu herói e sou autor

As fantasias que criei
Todas sobreviverão
À realidade que recusei

Leio e releio nosso romance
Única concretização
Ao meu curto alcance

(Isabela Xavier)

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Sempre passa

Disappear by tothzoli001
a photo by tothzoli001 on Flickr

 
Tudo isso vai passar
As lágrimas 
Vão secar
Os passos que ainda
Ouço pela casa
Vão cessar
Essa dor
A aflição
Esse vazio
Da solidão
Tudo isso passará

A curtas passadas,
Mas irá
Eu sei

Mas também sei 
Que sou fraco
E dou 
Mais um passo
Em direção 
Ao passado
Mesmo sabendo que
Caço a frustração
Voluntária ilusão
Com que decido
Me presentear

Mas isso tudo
Ah, esse tropeço no escuro,
Isso também passará

(Isabela Xavier)

terça-feira, 3 de junho de 2014

Complexo - PHpoemaday

Odeia essa cara 
Sempre fechada
Não gosta do feitio 
Dessas cores, odores
Desses traços vazios

Odeia esse olhar
Frio, dissimulado
Esses atos sem nexo
Quebra-se em cacos
Odeia o próprio reflexo

(Isabela Xavier)

Tema do dia 3: espelho.

segunda-feira, 2 de junho de 2014

O céu de hoje - PHpoemaday‬

Teus olhos
Tempestuosos
Eram nuvens
Descarregando
Em lágrimas
O peso dos
Dias cinzentos
Sobre mim

Lançando raios
Furiosos
Em olhares
Últimos
Teus olhos
Sempre cinza
Trovejaram-me
O fim

(Isabela Xavier)

Tema do dia 2: o céu de hoje.

domingo, 1 de junho de 2014

Retrato - ‎PHpoemaday‬*

Pintei um retrato 
Era nada novo
Meio torto,
Meio desbotado

Pendurei o retrato
Moldura escura
Em meio à brancura
Da parede do quarto

Pintei-me
Em único ato
Pendurei-me
Um autorretrato

(Isabela Xavier)

*Todo texto publicado no blog que incluir
PHpoemaday ao lado do título faz parte do desafio de escrita Poem a Day, que vocês podem conhecer aqui.

quinta-feira, 29 de maio de 2014

Segunda resenha!

Hey, pessoal, saiu uma nova resenha do Livre Mente!
Foi feita pela blogueira Adriana Holanda Tavares, do blog Volto Pra Curtir.

"Sim, é lírica e melódica a forma que a Isabela nos toca com cada pequeno 'desabafo' emocional.
Em alguns momentos percebi que ela se utiliza de muitas antíteses e dicotomias em seus poemas, coisas que se chocam o tempo todo, fazendo com que nos tomemos de uma confusão de sentidos deliciosa.
(...) A capa é linda demais, a diagramação também e diga-se de passagem que uma edição independente muito melhor que algumas de editoras com anos de mercado!!!"
Resenha completa: http://voltopracurtir.blogspot.com.br/2014/05/resenha-livre-mente-isabela-xavier.html


Onde ler as primeiras páginas do livro: http://issuu.com/isabelaxavier/docs/livre_mente_-_primeiras_p__ginas

Como adquirir o Livre Mente: http://isabelaxavier.blogspot.com.br/p/blog-page_27.html

quarta-feira, 21 de maio de 2014

Cínico

06/08.a little bit. by lila-is-a-bird
a photo by lila-is-a-bird on Flickr.


Apenas posso supor
Que irás sobrepor
Uma desatenção
À derradeira interpretação
Quando esta não for
Conveniente e condizente
Com o que queres 
Que digam meus versos

Meu poema que
Não suspira, doce
como desejas
Em teu ouvido
Mas grita, mudo
E afinado
Que tu já sabes
Que me leu errado

(Isabela Xavier)

quinta-feira, 8 de maio de 2014

Into pieces

photo byNick Fletcher

Metade da alma em cacos
A outra parte em pedaços
De amor
Emaranhados feito retalhos
Que alguém descosturou

Sou fio solto de mim
Enrolado 
Ao que restou
Da dor
(Isabela Xavier)

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Livro em promoção

Atenção, leitores!

Está rolando uma PROMOÇÃO do livro na loja da página no facebook!
10% de desconto no livro + frete (R$ 5 para todo o Brasil).
A promoção é apenas para quem CURTIR a página.

A loja aceita cartão de crédito, débito em conta ou boleto bancário.

Para quem ainda não viu e está curioso, leia aqui as primeiras páginas do livro: http://issuu.com/isabelaxavier/docs/livre_mente_-_primeiras_p__ginas

terça-feira, 15 de abril de 2014

De volta!

Olá, leitores do Exteriorizando!

Perdoem minha ausência, precisei resolver algumas coisas e fiquei até sem internet por algum tempo, mas estou de volta.

Novidade boa: em breve teremos a primeira resenha do livro Livre Mente!
Assim que ficar pronta, vou trazer para vocês.

Aguardem, pois mais poemas e mais novidades estão por vir!

Quem quiser saber mais sobre o livro: http://isabelaxavier.blogspot.com.br/
Onde comprar: https://www.facebook.com/Exteriorizando/app_206803572685797

quinta-feira, 20 de março de 2014

Fixação

Hoje
Qualquer tristeza
Que vai embora
Deixa suas malas
Garantindo-me
A volta

(Isabela Xavier)

disappear by lucy_nka
a photo by lucy_nka on Flickr.

sexta-feira, 7 de março de 2014

|BOOK TOUR|

ÚLTIMAS VAGAS!

O blog Capsula de Banca está organizando o primeiro Book Tour do meu livro, Livre Mente.
Ao fim do tour, um dos blogueiros participantes ganhará o exemplar do livro em um sorteio.

Tem um blog e quer ter a oportunidade de ler o livro e participar do sorteio de um exemplar?
Inscreva-se no Blog Capsula de Banca: http://capsuladebanca.blogspot.com.br/2014/02/book-tour-livre-mente-isabela-xavier.html

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Pergunta-se

Vontade
Ou 
Vaidade?

Arrisco
Ou
Risco?

Mais 
Ou 
Mas?

Contigo
Ou 
Contido?

Descanso
Ou
Descaso?

Contudo
Ou
Com tudo?

(Isabela Xavier)


Interrogação para página de revista em trabalho acadêmico by thiagob87
a photo by thiagob87 on Flickr.

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

BOOK TOUR do Livre Mente

ATENÇÃO, blogueiros!
O blog Capsula de Banca está organizando o primeiro Book Tour do meu livro!

6 blogs poderão participar e as inscrições já estão abertas, restando 5 vagas no momento.
Como de praxe, ao fim do tour, um dos blogueiros participantes ganhará o exemplar do livro em um sorteio.

Tem um blog e quer participar? Leia no link abaixo as regras e se inscreva: http://capsuladebanca.blogspot.com.br/2014/02/book-tour-livre-mente-isabela-xavier.html

E boa leitura a todos!

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Adeus

Morning Man by karlsbad
a photo by karlsbad on Flickr.

Queira me dizer adeus
E vá
Vá por vontade ou teimosia
Diga que já não te mereço
Diga-me mais, ou nada mais

Só queira me dizer adeus
Ou nem diga, apenas vá
E tire dos ombros meus
O doloroso fardo 
De arriar os seus

Feche os olhos
Pense em não voltar
E nem pense em nada mais
Só queira me dizer adeus
E vá

(Isabela Xavier)

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

Novo meio de adquirir o Livre Mente

Amigos, quero brevemente compartilhar uma novidade:
Agora, além de poder comprar o livro Livre Mente pelo meu outro blog através de depósito ou transferência bancária, já está disponível também a Lojinha da Fanpage. Lá é possível pagar com cartões de crédito (com parcelamento) ou com boleto bancário.

Confiram!

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Meu livro publicado, finalmente!

Amigos do Exteriorizando, é com alegria que informo a vocês que meu livro finalmente foi publicado! A publicação é independente, e os exemplares da primeira tiragem chegaram a minha casa hoje.

Capa do livro.

Para quem se interessar, aqui vai o link do blog que fiz para as informações e a venda do livro: http://isabelaxavier.blogspot.com.br/

Obrigada por lerem o que escrevo, por comentarem e incentivarem. Se esse livro existe, é porque foi aqui, neste blog, que tudo começou!

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

No fundo

125389-F by marcisovsky.com
a photo by marcisovsky.com on Flickr.


Do fundo do coração
Não se diz nada
Não

Bombeia-se apenas
Sangue para um
Corpo molenga

Do fundo da alma
É que se diz
O que falta

Do fundo da garganta
É que se grita
O que atravanca

No fundo, é a mão
Que treme 
A emoção

No fundo, é o olhar
Que diz
Sem explicar

(Isabela Xavier)

Blogger templates