quarta-feira, 26 de novembro de 2014

Poema já obsoleto

Há tanto aqui dentro
E lá fora a vida é tão pouco

Em um voo vai-se o tempo
Pelos ponteiros pássaro solto

Olhares e palavras correm
Em círculos anti-horários

Sonhos e planos morrem
Na poeira, engavetados

Só os distraídos suportam
A efemeridade

Surdos e sonsos, eles bailam
Pela tragiverdade

(Isabela Xavier)



Imagem: http://weheartit.com/entry/134565288?utm_campaign=share&utm_medium=image_share&utm_source=tumblr

Um comentário:

  1. O poema tem graça. De forma sutil, expõe o ir e vir da existência.

    ResponderExcluir

Deixe sua impressão, será muito bem-vinda. :)

Blogger templates